sexta-feira, 23 de novembro de 2012

São Paulo empata com Universidad no Chile


O jogo de ontem mostrou claramente a acentuada diferença técnica entre o São Paulo e a Universidad Católica, porém o tricolor desperdiçou a chance de sair do Chile praticamente classificado, apesar que 1 a 1 fora de casa não é um mau resultado.

Esse 1 a 1 foi ruim analisando friamente a quantidade de chances perdidas e o total domínio de jogo do São Paulo. O Universidad tem séria dificuldade em sair jogando, erra passes constantemente e o jogo não flui. 
Rafael Tolói marcou de cabeça para o tricolor paulista ainda no primeiro tempo. No segundo tempo, conseguiram o empate um gol em uma bola parada e uma trapalhada entre a vaga (que atrapalhou o goleiro) e Rogério Ceni, em uma bola defensável.

Para semana que vem, jogando com mais concentração e não apenas entusiasmo, o São Paulo pode aplicar mais uma goleada continental neste ano e chegar a tão esperada final. Não vejo possibilidade alguma de o adversário conseguir impedir a chega do são Paulo nesta final.

Foto: EFE
Foto: EFE

Mano Menezes não é mais Técnico da Seleção


Realmente, como o Mauricio Stycer disse, foi a Black Friday para o Mano Menezes.

O RH de algumas empresas recomenda que você não demita as pessoas nas sextas-feiras, pois pode causar traumas e transformar um dia que é tradicionalmente feliz em um dia triste. Mas como eu acredito que a CBF não tem RH ou não respeita esta regra, hoje foi decretada a saída do treinador que não conseguiu formar uma base para a seleção que disputará a sua mais importante Copa do Mundo. Pelo fato de não ter vencido em 1950, a cobrança será em dobro e precisaremos de uma equipe muito bem taticamente para suprir a carência de craques que já tivemos, como Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo em um mesmo time. Neymar, Oscar, Lucas e Ganso ainda precisam de experiência internacional como jogadores que decidem grandes jogos, contra grandes seleções.

Eu apenas achei estranho o momento desta demissão, pois Mano já passou por pressões maiores, como após a queda na Olimpíada.

Pode ser difícil de assumir, mas o time de Dunga tinha bons resultados e estava bem ajustado em um padrão tático já estabelecido pelo treinador, coisa que Mano Menezes teve tempo de fazer e não conseguiu.

Acredito que esta demissão pode ser dolorosa, mas é justa e necessária para um país que anseia tanto comemorar um mundial em seu território.
Ganhar Copa do Mundo ninguém pode garantir, mas precisa ter um time competitivo como sempre foi a seleção brasileira.

Fotos: Editoria de Arte / Globo

Millonarios empata com Tigre fora de casa


Possíveis adversários do São Paulo em uma final, o Millonarios da Colômbia conseguiu um empate contra o Tigre da Argentina, que até agora tinha vencido os seus jogos em casa com resultados bem expressivos.

Isto mostra um amadurecimento do time colombiano e que a defesa não está tão desatenta como esteve no primeiro jogo contra o Palmeiras. Os colombianos são rápidos e é um time muito ofensivo.

Um empate por 1 a 1 dá a vaga ao time argentino, mas o Millonarios vem fazendo bons resultados em casa e aproveita muito bem o fator altitude de Bogotá.
Apesar de não serem times comparados à Libertadores, precisamos respeitar quem eliminou times como Palmeiras, Grêmio, Indiependiente etc.

Será que o Millonarios jogará novamente contra um brasileiro nesta final?

Decisão fica para a próxima partida.
Foto: EFE

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Argentina x Brasil: Supersono das Américas


Quem assistiu o jogo de ontem imagina porque o título é supersono. O Brasil não fez esforço algum para vencer a partida, até que tomou um gol da Argentina. Rapidamente conseguiu um empate, porém levou a virada.

Houve um pênalti duvidoso para a Argentina no primeiro gol, o oportunismo de Fred no gol do Brasil e uma grande jogada de Montillo no segundo dos Hermanos. Estas duas linhas resumem bem o jogo até os 90 minutos.

Nos pênaltis, por coincidência os dois argentinos que jogam no Brasil (Martinez e Montillo) desperdiçaram as cobranças. O Brasil foi competente e calmo nas cobranças, converteu 4 pênaltis, dos 5 que bateu.

A equipe argentina mostrou mais vontade de vencer e esteve melhor, principalmente no segundo tempo, com Martinez, Montillo e Scocco (entrou no lugar de Barcos).
O Brasil leva o título, mas não leva a confiança do torcedor.

Foto: Juan Mabromata/AFP
 Foto: Juan Mabromata/AFP